terça-feira, 7 de outubro de 2008

quanto mais eu conheço as pessoas...

na foto Hércules, um dos filhos da minhha amiga e esteticista Sandra Taquetti, que os trata com toda a dignidade e amor do mundo, assim como todos deveriam ser tratados.

=^.^=

sabadão à tarde... eu, mestranda louca, com 03 artigos pra entregar nas próximas 03 semanas, resolvo fazer balaiage no cabelo, já que não tinho nada pra fazer mesmo né?

e não é que estou gastando o tempo na varanda com um monte de papel alumínio na cabeça, esperando aquilo tudo fazer algum efeito [ficou péssimo, diga-se de passagem]
quando vejo uma patinha peluda saindo de um saco plástico preto na rua... Saí correndo e abri o saco. Era um poodle de porte médio muito doente, os olhos infeccionadíssimos, umas marcas no corpo e uns espasmos como se fossem soluços. Na hora meus olhos já se encheram d'água, corri pra chamar a minha amiga e esteticista (que também, é amante inveterada dos animais, arrumamos água limpa e ração dos cães dela. Mas ele não comia, só tentava beber água, ai que desespero!
Liguei na mesma hora para a vet dos meus filhos, a Tia Marcelle (sim eu chamo de tia quenem mãe chama pediatras) e dei todas as informações. Ela "diagnosticou" como cinomose, uma doença viral horrível que mata os cães de uma maneira muito feia e cruel. Ligo pro 156, eles não funcionam aos sábados. Saio como louca com os cabelos cheios de henna, subo em direção ao norte, no Pronto Socorro do Pet Shop com o cãozinho dentro de uma grande caixa de papelão e um paninho no fundo, vou conversando com ele, ele me olhando e soluçando, eu já comecei a chorar ali mesmo, de raiva, de tristeza, de sensação de impotência, de indignação... aaahhhhh!
Cheguei no pronto Socorro com os cabelos cheios de tinta, uma toalha velha furada e manchada nos ombros e um serzinho no colo cujos olhos só pediam carinho. O Tio Arnaldo foi super ético, conversou com ele, tocou, me explicou tudinho, a doença estava em estágio avançado e ele precisava ser sacrificado...

[imagine um soco na boca do estômago. uma vontade de gritar e ao mesmo tempo de ficar em silêncio]

...depois disso eu não sabia explicar o turbilhão de coisas que estavam se passando na minha cabeça (cheia de henna) e no meu peito, eu só chorava, chorava copiosamente, como quem havia acabado de dar adeus a um amigo...

7 comentários:

Silvia disse...

Ai Dê.............
nem sei o que dizer....
que coisa terrível! eu não consigo, não tem jeito, entender o que se passa na cabeça de alguém para simplesmente abandonar assim um amigo...
parabéns pelo lindo gesto, bjim.

Rafeiro Perfumado disse...

Assim se vê com gosta mesmo desses companheiros de quatro patas...

Um beijo para ti.

disse...

triste... ainda bem que existem pessoas que cuidam dos bichinhos com carinho!

Cláudia disse...

Muito triste mesmo :(

Beatriz Levischi disse...

provavelmente, o simpático dono do cachorrinho quis economizar o dinheiro da eutanásia. e pensar que eu já gastei R$ 70 na consulta de uma pomba de rua... gente pequena!

Erika disse...

Nossa... Chorei feito uma condenada que está indo no corredor da morte... Coitadinho!
Pensar que ele não precisasse ter passado por isso no finalzinho dele.
Sinto muito e bom saber que você tem um espírito tão bom, mas tão bom que mal cabe dentro de você!
Cheguei aqui através do Gatoca da Bia e continuarei visitando.
Beijinhos,
Erika (de Bragança Paulista)

Japa Girl disse...

Muito triste. Mas você fez o que podia por ele, já que quem deveria ter cuidado dele o descartou como lixo.
Que ele descanse em paz.
Bjo!